quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Afinal, o que é esse tal PATHWAY, PGWP, CEC e NOC?

Olá! Tudo bem?

Vamos entender o que são essas benditas siglas que vemos sempre pela internet quando o assunto é Canadá?

Quando você pesquisa sobre o Canadá, possivelmente encontrará alguns termos usados na internet que provavelmente será novidade e não fará sentido para você, como por exemplo,  PATWAY, PGWP, CEC e NOC. Hoje eu gostaria de te ajudar a entender o que de fato são esses termos, uma vez que tais termos estão sempre em destaque, seja em blogs, vlogs ou mesmo grupos de discussão no facebook e as vezes não são de fato compreendidos.

PATHWAY: se fossemos traduzir ou adaptar ao português, seria "caminho", o que de fato representa bem o que é o Pathway. Dá-se esse termo a um curso preparatório para o ingresso em college ou university. Nesse curso o aluno além de receber um treinamento intensivo de inglês, é também preparado para os moldes de ensino canadense, que é bem diferente do que estamos acostumados aqui no Brasil. Na minha opinião, é um investimento que vale a pena ser considerado. Algumas instituições de ensino superior possuem seus próprios pathways, outras fazem parcerias com escolas de ensino de idiomas para fornecerem esse treinamento, que normalmente sai mais econômico do que estudar no college/university. Vale ressaltar que fazendo o pathway, os testes de proficiência de inglês, passam a não ser obrigatórios, uma vez que será o pathway a atestar seus conhecimentos. Vale frisar que o tempo de duração desse treinamento pode variar de acordo com o seu nível de inglês, portanto, quanto melhor for o conhecimento do idioma, menos tempo de pathway será preciso e consequentemente terá um menor custo.

PGWP: O Post Graduate Work Permit, é uma permissão de trabalho que é concedida a aqueles estudantes que concluíram um curso em faculdade pública e que seja acima de 8 meses, ou um curso em uma instituição privada que lhe conceda um degree, ou seja, não vale diploma nem certificado.
Exemplificando, se você fizer um college de dois anos em uma instituição pública, você terá direito a pedir essa permissão que terá validade igual a duração do seu college, tendo como tempo limite 3 anos de permissão.

Além dos requisitos citados acima, para que um curso seja elegível ao PGWP, ele precisa também seguir uns outros requisitos, Vale a pena dar uma olhada no CIC (Citizenship and Immigration Canada). Deixo aqui dois links pra consulta. Link 1 e Link 2.

CEC: Canadian Experience Class é uma categoria de imigração para indivíduos com experiência de trabalho qualificada (NOC 0, A ou B) no Canadá por pelo menos 1 ano dentro dos últimos 3 anos precedentes a abertura do processo de imigração através do CEC. Foi desenvolvido para trabalhores estrangeiros temporários que estão vivendo no Canadá. Você pode consultar mais clicando aqui

NOC: National Occupational Classification nada mais é do que a lista de profissões regulamentas no Canadá. Você deve sempre ouvir sobre "experiência de trabalho qualificada" e se perguntar o que é isso. Basicamente são as profissões listadas nas 3 primeiras categorias, que são empregos gerenciais (Categoria 0), empregos que normalmente exigem conhecimento técnico mais avançados (Categoria A e B). Para saber mais sobre o NOC e ver onde sua profissão se encaixaria, clique aqui.


Espero ter ajudado a esclarecer as dúvidas de vocês em relação a essas siglas que vemos constantemente na internet. Lembrando, se você ainda não curtiu a página no Facebook, please, curta e nos ajude a crescer e alcançar mais pessoas. Assim ajudamos ainda mais pessoas a se planejarem rumo aos objetivos! Se increva no YouTube também, clicando aqui! Se tiverem dúvidas deixem ai nos comentários.


domingo, 29 de julho de 2018

O Embarque Canada está de volta!

Olá pessoal! Tudo bem com vocês? Espero que sim!

Vocês devem estar se perguntando se é mesmo verdade que estão lendo uma postagem nova, e sim, é verdade, e digo mais, ACOSTUME-SE! O blog está de volta! =D

Bom, quem é leitor antigo e acompanhou a jornada, sabe que o objetivo era vir para o Canadá. E cá estou! Sim, há quase 3 anos vivendo no Canadá!

Eu confesso que havia quase desistido do Embarque Canada. Havia pensado várias coisas bacanas para o blog, mas devido a correria do dia-a-dia fui sempre colocando em segundo plano, sempre pra depois. Well, esse tempo chegou e eu vou retomar as postagens e também vídeos para ajudar vocês que estão planejando vir para o Canadá! Fazer o que fiz desde a primeira postagem nesse blog!

O principal motivo pelo qual resolvi que era hora de voltar com o blog, foram alguns emails e mensagens no Facebook e Youtube que recebi dizendo o quanto as minhas postagens e vídeos haviam sido uteis! Algumas mensagens perguntando se o blog tinha acabado e outras pedindo que eu voltasse a postar e isso foi sensacional! Eu já recebi milhares de mensagens no privado e emails e tenho o prazer de falar que ajudei algumas dezenas senão centenas de pessoas a se programarem a virem realizar o sonho canadense! Eu fico muito feliz em poder ajudar as pessoas que estão nessa caminhada! Eu passei por onde muitos estão passando e meu objetivo e ajudar de alguma forma! 

Quem acompanha a mais tempo, sabe que sempre tive o cuidado de ter certeza da informação que estaria passando a vocês, e sempre tentando ter um conteúdo valioso, que de fato fosse ser útil a vocês, além é claro de compartilhar minha experiência pessoal, podendo assim ajudar e encorajar outros que tinham o mesmo objetivo.

Eu estou no meu quase 3º ano de Canadá, eu posso garantir a você que emoção foi algo que não faltou nesse período. Muito bons momentos e outros nem tão bons assim. Mas o que seria dos bons momentos se não fossem os maus momentos para nos ensinar o valor daquilo que é bom, não é mesmo?

Sem mais delongas, esse é um post inicial (ou de retomada se assim preferir), apenas para dizer que a partir de hoje, você poderá voltar a ler o seu blog preferido sobre o Canada! =D

Se você ainda não curtiu a página no Facebook, clique no menu ao lado para curtir!

Se você acompanhava o canal no YouTube, sugiro você me acompanhar no meu canal pessoal! Lá tenho postado vídeos em formato de Vlog, compartilhando minhas experiências aqui pelas terras do Norte. Corre lá e se inscreve! Não esquece de clicar no sininho e assinar as notificações para não perder nenhum vídeo! Confere logo abaixo o vídeo do dia que eu fui em dos maiores parques de díversões do Canada!


Fique com o vídeo e até a próxima postagem pessoal!




terça-feira, 11 de agosto de 2015

Estreamos no YouTube!

Olá, pessoal! Como prometido, agora nós estamos também no YouTube! E o primeiro vídeo já está no ar! Então corre lá, assista, se inscreva, de o seu joinha, compartilhe, enfim...Um abraço, pessoal!

PS: Estamos aprendendo ainda como funciona essa magia chamada Edição de Vídeos! hehehe


Click aqui e confira o vídeo!


domingo, 2 de agosto de 2015

Nosso Quadro de Tarefas

Olá, pessoal.

Como vocês tem acompanhado aqui no blog, nós estamos naquela fase do corre corre. Aquela fase de muitas coisas para serem resolvidas e pouco tempo pra isso. É uma fase com um misto de emoções.

Nós fizemos um quadro de coisas a serem providenciadas, as que estão em andamento e as que já foram finalizadas. Quem já trabalhou ou conhece a técnica de gestão de planejamento chamada Scrum, vai se identificar e ver que eu fiz uma adaptação a essa metodologia. A imagem do post tá ai pra não deixar dúvidas (risos).

Isso tem nos ajudado bastante, pois fizemos o quadro em nosso quarto e estamos em constante contato visual com o mesmo, logo estamos sempre monitorando para ver como está o andamento de cada tarefa. 

Algo que pelo menos a mim, aflige muito, são os gaps que existem entre algumas tarefas, pois é o tempo de espera entre uma tarefa que foi dado start e a espera de uma resposta, por exemplo, para que essa tarefa seja finalizada e outra possa ser iniciada. 

Temos muitas tarefas ainda a serem iniciadas, e a maioria dessas dependem das que estão em progresso, e nos dá uma imensa felicidade quando retiramos um sticky note da divisão de "a fazer" e colocamos ele "em progresso" e, maior ainda é a felicidade em ver os sticky notes indo para a divisão de "concluídos" (risos).

Nós já estamos com boa parte das tarefas em andamento e algumas já foram concluídas (tnks God) e todo dia surge um detalhe, uma coisinha que não tínhamos pensado ainda e assim segue nossos afazeres.

O principal que estamos fazendo agora é a contenção de gastos pessoais, e transferindo esses gastos para cobrir as custas de todas as etapas dessa caminhada, que olha, não são poucas não viu...

Bom pessoal, o post de hoje é bem curto, nós estamos na expectativa de algumas respostas e assim que elas saírem, nós compartilhamos aqui com maiores detalhes como está o andamento das tarefas.

Um abraço e excelente semana a todos! Sucesso pra vocês!

domingo, 19 de julho de 2015

Deadline - Nossa corrida começou!

Olá, pessoal. 

Leram o último post? Bom, quem leu viu que decidimos ir por college. Depois de muitas análises, mudanças de planos, chegamos a conclusão e decisão de que estudo mais trabalho, seria o melhor caminho para não ficarmos na espera e angústia de continuarmos no Brasil tentando aprimorar os resultados do IELTS para talvez termos êxito no pool do Express Entry. 

Apesar de irmos para estudo mais trabalho, nós aplicaremos logo mais para o Express Entry, faremos isso já estando no Canadá, visto que teoricamente só nos falta o teste de inglês, e o teste que usaremos provavelmente será o CELPIP. Já falei sobre esse exame que é uma opção ao IELTS, e se alguém não viu ainda, pode conferir aqui.

O intuito é irmos em Dezembro, pois em Janeiro iniciaríamos o pathway e em Maio o college. O pathway é interessante pois além de auxiliar imensamente no aprimoramento do inglês, ele fornece toda uma preparação para que o aluno possa se adaptar aos métodos de ensino canadense, que obviamente é bem diferente do que estamos acostumados no Brasil e, portanto, é extremamente útil. Além de toda essa preparação, o pathway elimina a necessidade da apresentação de um teste de proficiência (lê-se IELTS, TOEFL etc...), mas claro que é interessante já ter um nível de inglês de intermediário para avançado. Não tente se enganar, se seu nível de inglês não for bom, precisará de mais tempo de pathway e consequentemente mais dinheiro.

Para conseguirmos cumprir os prazos, o nosso deadline para pedido dos vistos tem de ser no máximo Outubro, estourando Novembro. Mas antes dos vistos temos uma série de documentação a ser providenciada, e apesar de não ser nada de outro mundo, qualquer erro pode comprometer seriamente o cronograma. Basicamente são os documentos pessoais, histórico/certificado do ensino médio e superior e as suas respectivas traduções, passaporte com validade mínima de 2 anos, currículo em inglês, carta de intenção para os colleges...é, acho que basicamente é isso.

Os vistos só podem ser solicitados após a aceitação de um dos colleges, nosso intuito é recebermos o aceite pelo George Brown, mas aplicaremos também para o Humber. Pra falar a verdade, estaremos felizes com qualquer uma dessas duas instituições.

Então é isso pessoal. Aqueles que ainda não sabem, o Embarque Canadá ganhará um novo portal, que pode ser acompanhado pelo novo endereço www.EmbarqueCanada.com. E com o novo portal, virá o primeiro vídeo do canal no YouTube, que vocês já podem se inscrever, e também a nossa conta no Instagram que vocês já podem seguir!

Nos vídeos podemos explicar melhor e com maiores detalhes, e faremos isso! Qualquer dúvida vocês podem deixar nos comentários ou na nossa página no Facebook que você pode curtir na coluna a sua direita! 

Um abraço pessoal!

domingo, 12 de julho de 2015

College, Estratégia e Novidades do blog!

Olá, pessoal. 

Estamos já no segundo semestre do ano, muita coisa já aconteceu, mas esse segundo semestre vem com gostinho especial. Além do blog estar passando por uma completa reformulação, também temos novidades no nosso processo de mudança para o Canadá. Depois de muito planejamento, espera e mudanças de planos, definimos que realmente vamos através de estudo e trabalho.

Mas antes de falarmos sobre a nossa decisão de irmos por college e trabalho, gostaria de apresentar as novidades relacionadas ao Embarque Canadá. Alguns já estão sabendo e inclusive já assinaram o novo portal, mas muitos ainda não sabem que estamos desenvolvendo um novo portal, que será muito mais interativo, intuitivo, criativo e profissional. Muitas novidades acompanham o lançamento desse novo portal, como por exemplo, uma conta no Instagram, um canal no YouTube, novos colaboradores e muito mais! Já podem se inscrever no canal e seguir no Insta pessoal! xD

Para quem quiser ter um gostinho, o novo endereço será www.embarquecanada.com. O layout atual é temporário, pois o novo está sendo preparado e, por enquanto você pode acompanhar a contagem regressiva e cadastrar seu e-mail para receber as novidades e acompanhar o lançamento. Pra quem quiser ver como está ficando a parte de mídia digital, a nova logo do Embarque pode ser encontrada na nossa página do face, que está bem legal!

Bom, explicado as novidades do blog, vamos agora para as novidades sobre o nosso processo de mudança e qual estratégia adotamos. Eu já falei anteriormente aqui e aqui, como funciona o processo de ida através de college e trabalho.

Acho que a parte que todos, ou pelo menos a maioria sofre, é na parte financeira. Quem já foi ou quem está no processo sabe que não é nada barato estudar e imigrar e, por isso tem que ser algo bem planejado. 

Bom, depois de muito planejamento, muitas mudanças de planos enfim decidimos ir por college mesmo. Quem nos acompanha um pouco, sabe que Toronto sempre foi nossa primeira opção, dessa forma, essa última semana depois de uma reunião com o pessoal que nos auxiliará no processo de estudo, aplicaremos para o George Brown College e para o Humber College.

Os primeiros passos são as traduções, o envio dos docs, a preparação da carta de intenção para os colleges (isso fica a cargo do pessoal) e após o aceite de uma ou das duas, a escolha de uma delas, ai vem a solicitação dos vistos, exames médicos e depois o embarque. Resumindo bem é isso.

Bom, ela vai com o visto de estudo e eu com o de trabalho. Pra quem ainda não nos conhece (o que eu acho difícil rs), logo mais vocês vão saber quem somos. Vamos fazer um vídeo de apresentação do canal no YouTube e ai vocês nos conhecerão. Alguns já nos conhecem, mas enfim, voltando ao que interessa...

Nossos gastos iniciais são os valores dos honorários do pessoal que nos auxiliará, as taxas das matrículas dos colleges, as traduções e o envio desses docs. Depois temos os vistos, as consultas e exames médicos. Claro que temos também os valores referentes no mínimo ao primeiro semestre do college, mas ai é quando chegar lá...

Vale ressaltar que ela fará um pathway antes de iniciar de fato o college.

Como sabemos, existem uma lista de colleges públicos que oferecem o PGWP (Post Graduate Work Permit) e as instituições acima citadas estão entre essas. A nossa estratégia de ir por um college público é que o custo benefício compensa e nos possibilita trabalhar com vários planos de imigração. Pensando além da imigração, ela terá uma excelente formação numa excelente instituição, então estamos bem felizes com a nossa escolha. 

Basicamente é isso pessoal. Quando tivermos maiores detalhes, volto aqui pra compartilhar com vocês.

Um abraço e sucesso a todos.

domingo, 14 de junho de 2015

Voltar ao Brasil. Tem certeza?

Essa semana uma publicação do projeto Draft repercutiu muito na internet. A publicação do Engenheiro Marcio Leibovitch, que depois de 11 anos vivendo no Canadá, decide que é hora de voltar ao Brasil, e cita sua experiência e seus anseios para justificar tal decisão.

 Se você ainda não leu o texto do Marcio, clique aqui pra ler.

Resumindo, ele cita alguns pontos que o fizeram tomar tal decisão, como idioma, cultura, distância da família e amigos e, o frio. Imagino que depois de 11 anos isso venha pesar mesmo e uma decisão precisa mesmo ser tomada.

Eu gostei muito do texto do Marcio, pois ele soube expor muito bem seu ponto de vista e ao mesmo tempo deixar claro que cada um tem sua história e seus anseios.

Outro texto que chamou muito a atenção, foi um texto "resposta" onde um expatriado também expõe seu ponto de vista de forma sucinta e sem ataques ao texto do Marcio. O texto por de encontrado aqui.

Não farei aqui uma critica ao texto do Marcio, até porque não tenho esse direito e entendi os anseios dele, respeito e não teria o porque criticá-lo. Acho que cada um sabe onde aperta o calo. Apenas acho que o Marcio não tem mais a mesma visão e nem sabe tão bem de fato como está o Brasil. Digo isso, pois noticias não são suficientes, é preciso estar vivendo no Brasil para compreender como está difícil viver aqui. Como está sendo difícil viver com a incerteza do amanhã.

Não vou falar sobre educação, saúde, transporte, infraestrutura, desigualdade social, má distribuição de renda, corrupção, saneamento básico etc ou sobre a falta desses, pois já são clichês. Todos estão cansados de saber que o Brasil é uma vergonha em todos esses aspectos. Não somos exemplos a ser seguidos por ninguém.

Eu quero falar sobre a decisão que qualquer expatriado pode querer tomar, de voltar ao Brasil, não só sobre o Marcio.

Imagino que o pensamento de retornar ou não ao Brasil seja algo que hora ou outra vai passar pela cabeça daqueles que estão morando fora há algum tempo. E é uma coisa natural. Mas será que voltar é mesmo uma boa opção? Ao menos nesse momento atual, acredito fortemente que não. Não estamos em um momento bom, e longe de nós estarmos próximos de colocar a locomotiva Brasil nos eixos, economicamente, politicamente e socialmente falando. 

No auge dos meus poucos, mas extremamente bem vividos 24 anos, jamais vivi tamanha crise no Brasil. Nunca foi tão difícil conseguir seguir a vida na nação verde e amarela. Planos de ter filhos aqui? Agora não mais. Não é essa situação nem esses valores que eu quero que eles vivam e aprendam. Ai eu me pergunto: trazer a família para o Brasil? Trazer um filho para viver no Brasil? Por mais que possam vir em uma excelente condição financeira e não sejam tão afetados pela crise econômica, ainda assim estarão sujeitos ao cotidiano de se viver no Brasil. No caso do Marcio, tem o agravante de ser o Rio de Janeiro, que sabemos não ser exemplo de segurança no Brasil...

Será que vale a pena tirar uma família de um país estruturado, economicamente saudável e com excelentes oportunidades, para trazer para o Brasil? O que nós podemos oferecer para essa família? E o perigo que estarão sujeitos todos os dias? Quando eu digo perigo, não digo apenas um perigo relacionado a criminalidade em si, que por si só já deveria ser motivo suficiente para pensar e repensar, mas digo num todo, como por exemplo, expor a família a um trânsito que faz mais vítimas do que algumas guerras? E aqui enfrentamos não apenas obra do acaso, mas sim um problema sócio cultural, pois muitos, senão a maioria dos acidentes de trânsito poderiam ser evitados. 

Qualidade de vida? Custo de vida? Não vou nem entrar nesses méritos. Fico envergonhado só de tentar comparar...

Pra finalizar, teve uma parte do texto do Marcio que me chamou muita atenção:

"Cada caso é diferente e cada pessoa tem a sua história. Conheço pessoas que não vão voltar nunca. Mas também conheço muitas que guardam escondido bem no fundo do peito uma vontade doida de voltar."

Na verdade, eu não tenho uma vontade escondida, eu gostaria muito de não ter que sair do meu país para ser possível viver uma vida melhor e oferecer melhores condições a minha família. Eu gostaria muito que o Brasil pudesse me oferecer o que o Canadá ou qualquer outro país organizado pode oferecer. Mas sabemos que não. O jeito é pegar as coisas, as emoções, colocar na mala e partir.

O Futuro, os anseios, as expectativas...bom, isso não pertence a mim, nem ao agora. No momento, a única certeza que tenho é: vou arriscar o frio, o idioma, a saudade, a cultura etc...Vou arriscar viver melhor.

Um bom início de semanas a todos! Sucesso para vocês!

domingo, 31 de maio de 2015

Como continuar a sobreviver no Brasil?

Olá, pessoal. 

Pensei muito antes de escrever esse post. Sei que muitos poderão discordar, mas democracia é isso. 

Primeiramente: Se você está no Rio de Janeiro, lendo isso por um smartphone/tablet enquanto espera um ônibus ou enquanto relaxa em uma praça, sugiro fortemente que pare agora e guarde seu aparelho e leia quando chegar em casa. Por sua própria segurança.

Pode parecer piada ou exagero né? Mas é assim que tem acontecido no Brasil, e não faz pouco tempo. Faz pouco tempo que a mídia vem mostrando, e ai, parece algo crescente e momentâneo, mas não é. Os cariocas que nos leem podem me corrigir se eu estiver errado. 

O mundo tem estado estarrecido nas últimas duas semanas com a onda de violência que acomete o meu vizinho Rio de Janeiro. Pessoas sendo atacadas e mortas a facadas, por um aparelho celular, por um tablet, por um cordão. Pessoas sendo mortas ou feridas gravemente, simplesmente por possuírem algo que aqueles que lhes agride deseja, sendo coisas de tão baixo valor. Nenhum valor justifica uma violência tamanha, mas quando vemos pessoas sendo mortas por causa de um celular, percebemos o quão pouco vale a vida na mão de certas pessoas! E digo que o mundo está estarrecido, pois o Rio será sede da próxima Olimpíadas e por isso, estamos sendo muito observados pelo mundo. 

Mas isso não é exclusividade do Rio de Janeiro. Nosso Brasil vive sendo acometido por crimes bárbaros, desde o roubo de um celular ao roubo de bilhões, nas esferas mais altas de poder. Desde o descaso com a seca no Nordeste que também condena pessoas a morte, ao descaso com a saúde pública pelo país inteiro. 

Eu não vivo no Rio, mas também não tenho tranquilidade ao sair de casa. Nunca sei se voltarei, ou se serei assaltado e ferido, ou morto. Não sei se serei mais uma vítima de bala perdida, e que apenas servirá para aumentar estatísticas. Não sei se no trânsito, alguém ficará nervoso por motivo banal e tomará atitudes desnecessárias. Ou se dependerei do SUS, e sabe Deus o que seria de mim. Arrisco a dizer que caminhamos a barbárie. 

E com quem podemos contar no Brasil? Todos pedem que a polícia tomem conta dessa bagunça, mas a polícia é a esfera mais baixa do poder. Infelizmente são condicionados ao sistema. E "o sistema é fo*a, ainda vai morrer muito inocente", já dizia o Capitão Nascimento.

Entra Governo, sai Governo, e o Brasil continua sendo o país do futuro. Desculpa, mas eu não acredito mais nessa lorota de que o Brasil um dia será país de primeiro mundo. E a culpa não é só de um Governo falho, a culpa é também nossa, é também do cidadão.

Entendeu porque eu usei o termo sobreviver, no título desse post?! Porque eu não me sinto vivendo aqui. Me sinto sobrevivendo.

Diferente de muitos, e do que muitos pensam, eu não me iludo com o Canadá. Sei que terei inúmeras dificuldades, principalmente no início. Outro idioma, outra cultura, outro lugar, outras pessoas. Tudo novo e novo por muito tempo. Quase que completamente sem referências seja histórica ou seja de uma piada que escutarei e que não fará sentido pra mim.

E o frio?! Ahhh o frio! Uma das grandes capacidades dos seres vivos, é a adaptabilidade. Por mais difícil que seja, acostuma-se. Mudar é preciso, e com isso, essa capacidade natural vem a tona, ou ao menos deveria ser assim para todos. Eu já falei sobre mudança, e se você não leu, recomendo fortemente a leitura. Você pode ler clicando aqui.

Mas nem de longe, o Canadá poderia ser comparado ao Brasil. Apesar de eu amar meu país, e de ser o lar da minha família, dos amigos e ser o local onde minhas raízes estão, eu não sinto que pertenço a esse lugar. 

Se você é novo por aqui, e não entende o que eu falo, pesquise um pouco sobre saúde, segurança, transporte, infraestrutura, distribuição de renda, corrupção, inflação e o que mais se interessar, tendo como referência o Canadá. Você entenderá o que eu estou dizendo. 

O que não dá mais gente, é esse sentimento de insegurança, de impunidade. Somos assaltados e agredidos direta e indiretamente de todos os lados, por todas as esferas de poder. Todos os dias somos condenados a morte, seja pela falta de segurança ou por um sistema de saúde falho, e que diferente do que um político nosso disse, não é exemplo pra ninguém. Sinto que não passo de simples estatística para um Governo que não está nem ai para os interesses de sua população.

Quer ver a diferença de segurança pública e uma comparação rápida sobre os números de homicídios no Brasil e no Canadá? Clique aqui.

Sinceramente, não será aqui que criarei meus filhos. Não serão os valores dessa sociedade que eles terá como exemplo.

Você que talvez compartilhe do mesmo pensamento que o meu, e que está nessa caminhada, rumo ao Canadá, por mais difícil que seja, não desanime. Sei que é uma verdadeira batalha conseguir a tão sonhado status de Residente Permanente, mas não desista. Continue! Afinal, não deve ser mais difícil que sobreviver no Brasil, né?! 

Um abraço a todos!

domingo, 17 de maio de 2015

CELPIP: Uma alternativa ao IELTS

Olá, Pessoal.

Hoje gostaria de apresentar a vocês um exame chamado CELPIP (Canadian Exam Language Proficiency Index Program), uma alternativa ao IELTS (International English Language Testing System).

O CELPIP não é um teste tão conhecido quanto o IELTS. Longe disso. A razão para não ser tão conhecido quanto seu parceiro, é que esse teste é Canadense, e serve única e exclusivamente para imigração e entrada em algumas instituições de ensino superior canadenses, diferente do IELTS que serve para imigração e também para entrada em instituições de ensino de diversos países. 

Outra grande diferença para o IELTS, é que o CELPIP é aplicado somente no Canadá e, é feito todo através de um computador, ou seja, não tem interação humana no exame.

O CELPIP é a única alternativa ao IELTS que é aceito pelo CIC (Citizenship and Immigration Canada).

Existem 3 variações do CELPIP. São eles:

  1. CELPIP General
  2. CELPIP General LS (Listening e Speaking)
  3. CELPIP Academic
Vou explicar como funciona o General, que é a versão usada para imigração.

CELPIP General Test
Nessa versão, são abordadas situações diversas que comprovem a proficiência do candidato em todas as habilidades, ou seja, Listening, Reading, Writing e Speaking.

O inglês usado no CELPIP é mais uma variação do inglês falado no Canadá, uma vez que o candidato que presta esse exame, tem a intenção de viver no país. Isso difere de outros exames que abordam variações do inglês de outros países também.

O Speaking é feito diretamente em um computador. Isso permite que não haja interferência de um entrevistador, permitindo que o candidato não sofra influência de sotaque ou alguma interferência que pode ser causada pela interação humana. Isso nos lembra do TOEFL, que salvo engano, também é feito através de um computador.

Pelo fato de ser feito em um computador, o uso de teclado e mouse elimina o uso de lápis/caneta e papel, o que na minha opinião, facilita bastante, principalmente no Writing. Eu particularmente odeio escrever. E depois do início do uso de computadores, caligrafia é uma coisa que eu evito ao máximo! Pra ser sincero, se eu prescrever uma receita médica, ao menos a letra engana! HAHAHA..

A grande vantagem (na minha opinião) é o uso de um headset para realização do Listening. Isso evita que barulhos externos possam prejudicar o candidato. Quem já fez o IELTS (eu já), sabe que isso é uma coisa super importante, pois a concentração nesse momento é fundamental e qualquer barulho externo pode prejudicar bastante. Tem relatos de pessoas que fizeram o IELTS e em alguns casos foram tremendamente prejudicadas pela qualidade do som ou por barulhos externos.

O exame tem duração de 180min, ou seja, é feito tudo em um período de 3 horas, portanto não existe a possibilidade de ser divido em mais de um dia, como no caso do IELTS.

O score vai de Minimum (1,2 e 3) a 12. Vale ressaltar que o IELTS vai de 0 a 9. Caso queira entender melhor a pontuação do IELTS, clique aqui.
Para não estender muito o post pessoal, aqueles que quiserem conhecer a pontuação completa e formato do CELPIP General, clique aqui.

O valor da prova varia de província para província. Mas basicamente está entre C$265,00 a C$300,00 mais as taxas. Essa informação pode ser consultada no site oficial, que estará referenciado ao fim desse post.

Para finalizar, minha opinião.
Eu não realizei o CELPIP, logo não posso falar nada sobre a experiência de realizar o exame, mas estou pensando seriamente em prestá-lo. Não tem como dizer que um seja mais fácil que o outro, uma vez que são testes bem distintos.

Para mim, que já fiz o IELTS há 3 anos atrás, e conheço a estrutura da prova, penso que conseguiria um melhor resultado no CELPIP, devido o formato da prova!

Para aqueles que já estão no Canadá, ou irão em breve, vale pensar sobre a possibilidade de realizá-lo.

É isso pessoal. Apesar de não ter muitas informações e materiais disponíveis sobre o CELPIP na internet, espero ter fornecido um Norte para quem por ventura esteja analisando uma alternativa ao IELTS.

Lembrando que temos um grupo no facebook onde trocamos informações, materiais e experiências sobre o IELTS! Clique aqui para conferir!

Um abraço e sucesso a todos!

Fonte:
https://www.celpiptest.ca/